Atividades sísmicas na região centro-oeste e na Bacia Sedimentar do Pantanal brasileiro: Pesquisa desenvolvida no Mestrado em Geografia (PPGGEO/CPAQ), contribui para o registro dos eventos.

Postado por: Geovandir Lordano

Foi publicado na edição v. 38, n. 2 (2020), da Brazilian Journal of Geophysics (Revista Brasileira de Geofísica), o artigo de autoria da Mestra egressa do PPGGEO/CPAQ Lucimara José da Silva, e coautoria de Marcelo Sousa de Assumpção, Edna Maria Facincani, Review of Historical Seismicity of West-Central Brazil: Newly Discovered Events and Implications for Seismic Hazard (Revisão da sismicidade histórica do centro-oeste do Brasil: eventos recentemente descobertos e implicações para o risco sísmico).

O artigo apresenta uma contribuição ao registro histórico das atividades sísmicas na região centro-oeste do Brasil, com ênfase na Bacia Sedimentar do Pantanal, pois compila e sistematiza os registros dos eventos sísmicos na impressa brasileira, sobretudo por meio dos arquivos da Biblioteca Nacional, Rio de Janeiro, e do Jornal Correio do Estado, Campo Grande, MS.

Figura 1. Mapa macrossísmico de 1906-outubro-24.

Figura 1. Mapa macrossísmico de 1906-outubro-24.

Para a autora Lucimara José da Silva “a pesquisa possibilitou constatar que a zona sísmica da bacia do Pantanal tem sismos até 5,4 mb. Vários novos pequenos eventos foram descobertos, os quais não haviam ainda sido catalogados. Cinco eventos tiveram novas informações macrossísmicas de diferentes localidades, o que permitiu estimar magnitudes pela área afetada. Foram descobertos dez novos eventos, cada um com informações de uma única localidade”.

Destaca-se, dentre as contribuições do artigo, que um grande terremoto em 1919, listado anteriormente pelo catálogo brasileiro com magnitude 4,9 MB, foi considerado incorreto e foi descartado, sendo resultado da junção de um tremor local, possivelmente devido à queda de um meteorito em Santa Luzia (GO), com interpretação errada dos registros da estação RDJ (Rio de Janeiro), como se fossem provenientes de um único evento em Mato Grosso. Por outro lado, um evento em 1906 (Figura 1) foi encontrado para foram sentidos em uma área maior e seu magnitude foi aumentada de 4,2 MB para 4,9.

O catálogo revisado para a região Centro-Oeste do Brasil, comparado com mapas geofísicos, mostra que os sismos ocorrem em áreas de baixas velocidades no manto superior, bem como em áreas de anomalias ar-livre positivas. A concentração de tensões na crosta superior pode ser explicada tanto por afinamento litosférico, como por flexura.

Para ter acesso ao artigo completo Clique aqui.

Acesse o Currículo Lattes dos Autores: Lucimara José da Silva; Marcelo Sousa de Assumpção; Edna Maria Facincani

Compartilhe:
Veja também